Uma das prerrogativas do proprietário de um imóvel é poder dispor do bem da forma que bem entender, atendidos aos requisitos e verificadas as eventuais limitações legais. Isso significa que ele poderá locar, vender e trocá-lo e, nesse último caso, é importante saber como funciona a permuta de imóveis.

Não é sempre que o negócio jurídico mais pertinente é a venda, visto que pode haver o interesse recíproco na troca com o proprietário de um outro imóvel. Tal cenário é bastante desejável, pois, de acordo com a localização o imóvel, pode haver baixa liquidez, e o tempo gasto para encontrar um comprador para o seu e outro imóvel para você comprar pode ser longo.

Continue a sua leitura e entenda melhor como é feita a permuta de imóveis. Confira!

Como funciona a permuta de imóveis?

A permuta de imóveis não é um tipo de negócio muito comum, pois envolve bens de valores consideráveis, o que aumenta os critérios na hora de fechar o negócio. Em relação à permuta, é necessário, a rigor, que existam necessidades que se complementem para que seja viável.

Por exemplo, alguém com uma casa de 3 quartos pode estar à procura de uma com 2, em razão da mudança de um filho que se casou. Já a outra parte, por estar com a família em crescimento, estará em busca de um imóvel maior.

Outras questões também são consideradas, como a localização, o comércio nos entornos e a proximidade do trabalho. Também é comum que aposentados que passaram suas vidas em centros urbanos queiram a qualidade de vida do litoral ou do campo, enquanto quem vive nesses locais poderá ter interesse nas oportunidades existentes nas cidades.

A permuta, que também pode ser descrita como a troca de imóveis, deve ser formalizada por contrato entre as partes e mediante escritura pública devidamente registrada em cartório.

O que fazer quando há diferença entre os valores dos imóveis?

Como é possível prever, o proprietário do bem de maior valor receberá o equivalente, seja em dinheiro, seja em algum outro bem que complemente o valor a ser pago.

Quais cuidados tomar antes de fazer a permuta de imóveis?

A permuta deve ter motivos plausíveis, além do interesse que alguém possa ter no seu imóvel. É imprescindível que o imóvel alheio também seja atraente para você, que atenda às suas necessidades e que contemple todas as suas exigências.

A situação legal do imóvel também deve ser analisada criteriosamente e, para isso, você deve pedir todos os documentos relacionados ao bem para o seu proprietário e, claro, também deve oferecer os do seu imóvel. Busque a orientação de profissionais qualificados e experientes nesse tipo de negociação, priorize a prevenção e evite dores de cabeça no futuro.

Analise todas as vantagens que o negócio lhe proporcionará, sem ficar restrito à diminuição da burocracia. Como a permuta compreende um número menor de opções, recompense essa desvantagem ao fechar um negócio que proporcionará a sua satisfação e, o mais importante, sem nenhum arrependimento.

Agora que você sabe como funciona a permuta de imóveis, aproveite e deixe o seu comentário! Conte-nos a sua experiência com esse tipo de negócio jurídico!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *