As pessoas já estão acostumadas a depositar sua confiança nos serviços dos cartórios para maior segurança jurídica nos negócios do dia a dia. Na hora de assinar um contrato, vender um automóvel ou apresentar formulários e declarações, é muito comum a exigência do reconhecimento de firma. Você sabe o que isso significa?

Continue acompanhando este artigo para entender melhor como o serviço de reconhecimento de firma funciona. Vamos esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto!

Reconhecimento de firma e autenticação são sinônimos?

Não. Na verdade, o reconhecimento de firma e a autenticação são dois procedimentos completamente diferentes! No primeiro, o oficial do cartório certifica que uma determinada assinatura foi feita por uma pessoa. Essa declaração é feita com base na presença física da pessoa no cartório no momento da assinatura ou na comparação com a amostra de assinatura fornecida anteriormente. O reconhecimento só é feito em documentos em vias originais e a declaração de autenticidade se limita à assinatura indicada pelo cartório como reconhecida.

Já na autenticação, o que ocorre é a declaração de que uma cópia de um documento original é idêntica a ele. A cópia autenticada se refere à semelhança do conteúdo entre o original e a cópia, mas não atesta a legitimidade das assinaturas.

Qual a importância de reconhecer firma em um documento?

O reconhecimento de firma é mais seguro que um documento assinado de forma simples. Com o procedimento, passa a existir a presunção de veracidade da assinatura apresentada no documento. Assim, torna-se muito mais difícil o questionamento a respeito.

Em alguns casos, como na transferência de veículos, reconhecer firma é uma exigência legal. Sem o reconhecimento, o negócio não pode ser concluído. No entanto, mesmo nos casos em que não há obrigatoriedade no procedimento, ele pode ser feito para aumentar a segurança jurídica dos envolvidos.

Como funciona a cobrança por valor econômico?

Os serviços dos cartórios são remunerados por meio de uma tabela de emolumentos, que inclui todas as taxas e os impostos devidos ao Estado. Os cartórios têm duas tabelas para o reconhecimento de firma: uma para os negócios com valor econômico declarado e outra para os negócios sem valor econômico.

Os documentos sem valor econômico consistem em declarações simples. Já os que têm valor econômico consolidam negócios jurídicos, como compra e venda, doação, locação, quitação etc.

Como é feito o reconhecimento de firma?

O reconhecimento de firma pode ser realizado de duas formas diferentes, dependendo de algumas condições.

Reconhecimento por semelhança

A forma mais utilizada é o reconhecimento por semelhança. Trata-se do ato que pode ser feito até mesmo sem a presença da pessoa que assinou o documento.

Para isso, basta que o signatário tenha feito a abertura de firma, com o preenchimento de uma “ficha de firma” no cartório. Os oficiais utilizarão as assinaturas contidas na ficha para realizar uma comparação e atestar a autenticidade, caso haja semelhança nas grafias.

Reconhecimento por autenticidade

O reconhecimento por autenticidade só é feito com a presença do signatário em cartório. A pessoa apresentará seus documentos de identificação pessoal, preencherá um cadastro, assinará o livro de comparecimento e, só então, colherá as assinaturas na presença do oficial. Esse tipo de assinatura é exigido em negócios em que há mais formalidades, como nos títulos de crédito e nas transferências de veículos.

Para fazer bom uso dos serviços dos cartórios, é importante conhecer quais as opções disponíveis, bem como as exigências legais. Em caso de dúvidas sobre o reconhecimento de firma, é sempre interessante buscar as orientações com um cartório de confiança.

Quer fazer seus serviços de reconhecimento de firma sem filas? Agende seu atendimento conosco!

Powered by Rock Convert

Receba conteúdo gratuitamente!