Comprar imóvel e ter um local para chamar de seu é o desejo da maior parte dos brasileiros e, atualmente, especialmente em razão do aquecimento do mercado, a ideia de adquirir um bem é uma proposta muito tentadora.

No entanto, não planejar esse momento da maneira correta ou agir sem critério ao tomar uma decisão pode gerar graves consequências na vida pessoal e financeira de um indivíduo, uma vez que a aquisição de um imóvel é um passo importante e é fundamental ter os cuidados necessários para realizar a transação comercial de maneira segura.

Se você deseja conhecer mais sobre o tema e conferir 4 dicas para comprar um imóvel, acompanhe o post que vamos apresentar todos os detalhes. Confira!

1. Conheça como funciona o processo de compra

O primeiro passo para comprar imóvel deve ser conhecer todo o processo de aquisição, inclusive os documentos exigidos e os detalhes com relação ao contrato de compra e venda, que é feito, no mais das vezes, quando há imóveis, por meio de escritura pública.

Tal passo é fundamental, pois o contrato é o documento que rege toda a relação e, portanto, deve ser lido com bastante calma e, preferencialmente, com o auxílio de um advogado especializado, uma vez que existem diversas páginas e termos jurídicos a serem interpretados.

Já a parte da documentação para a compra de um imóvel é, em geral, a mais complicada, pois conta com diversos itens. Inicialmente, é importante realizar uma prévia a fim de entender a situação civil, financeira e judicial do proprietário do bem e, para tanto, é possível requerer declarações e certidões negativas junto às entidades envolvidas na relação jurídica, com o objetivo de analisar se o proprietário é um indivíduo apto à realização do negócio.

Outros documentos, como certidão de casamento para verificar se há a necessidade da anuência do cônjuge para a realização do negócio, a certidão de interdição e a tutela que comprove que o proprietário tem autonomia jurídica para dispor do seu bem, e outras certidões judiciais também são relevantes.

Já a documentação com relação ao imóvel é imprescindível para que a real situação do bem seja verificada, e os seguintes documentos devem ser apresentados:

  • certidão atualizada de registro do imóvel: único documento capaz de comprovar, de maneira precisa, a situação do imóvel;
  • certidão de quitação fiscal: uma vez que determinados impostos, como IPTU atrasado, são de responsabilidade do atual proprietário do imóvel;

Por fim, ambas as partes, tanto comprador quanto vendedor, devem apresentar os seus documentos, como certidões pessoais, RG e CPF.

2. Busque por um corretor de confiança

Outro fator relevante é contar com o auxílio de um corretor de confiança para intermediar a transação entre as partes. Para tanto, o ideal é procurar por indicações.

Nesse momento, é preciso conversar com diferentes profissionais até encontrar aquele que esteja, de fato, disposto a ajudá-lo no momento da sua compra, sendo que um bom corretor busca encontrar o melhor negócio para o cliente e não para si.

Além disso, ainda é importante verificar se o profissional está registrado no Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI), pois essa é uma maneira de verificar a sua idoneidade e buscar dar preferência aos profissionais estabelecidos na área de aquisição do imóveis, uma vez que eles têm, em geral, mais conhecimento e autoridade sobre os empreendimentos do local.

Apesar de não ser obrigatório contar com o auxílio de um corretor, uma vez que é possível realizar negociações diretamente com o proprietário, a ajuda de um profissional qualificado é importante e pode fazer a diferença no momento da aquisição de um imóvel para que todos os detalhes saiam conforme o planejado.

3. Inclua, no orçamento, as possíveis taxas do processo

Um erro que muitas pessoas cometem é calcular o valor da compra do imóvel sem incluir as taxas e os impostos que fazem parte do processo. Assim, a fim de evitar surpresas, é fundamental verificar quais são as taxas que devem ser pagas e somá-las ao preço total.

É preciso realizar o pagamento da taxa de ITBI, que corresponde ao Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis, sendo que a sua alíquota varia de acordo com o município em que o bem está localizado — na cidade de São Paulo, por exemplo, o seu valor corresponde a 3% do total do imóvel.

Um documento que deve, obrigatoriamente, ser apresentado nas aquisições financiadas em que foi dado um valor de entrada é o recibo de sinal ou promessa de compra e venda, sendo que é comum que o referido documento defina multas para a parte que se arrepender e desistir do negócio.

Já o registro da escritura de compra e venda, documento que dispõe sobre o acordo e a livre negociação entre as partes, deve ser feito em cartório e é um instrumento necessário para a resolução judicial de possíveis conflitos que possam aparecer ao longo do tempo.

Por fim, o último passo para a transferência da propriedade é a lavratura da escritura no Cartório de Notas, momento em que o tabelião lê o documento em voz alta e coleta a assinatura das partes para a oficialização da compra e venda. Em geral, quando a compra é realizada à vista, é durante esse ato que o pagamento é realizado.

4. Pesquise as condições físicas do imóvel

Ao encontrar um imóvel que desperte o seu interesse, é recomendável visitar o local escolhido e pesquisar o seu histórico, como as reformas que já foram realizadas no empreendimento e, nesse momento, também é relevante aproveitar para analisar a infraestrutura e os serviços disponíveis na região.

Antes de finalizar a compra, é preciso avaliar alguns itens, como linhas de ônibus e metrô próximos, lazer disponível na região (como parques e praças) e empreendimentos (padarias, farmácias, supermercados, entre outros).

O estado de conservação do bem também deve ser analisado minuciosamente e, para tanto, é possível observar todas as paredes para tentar encontrar rachaduras, por exemplo, mas o ideal é, se for possível, obter um relatório do local com um engenheiro ou arquiteto.

Agora que você já sabe quais cuidados tomar ao comprar imóvel, não se esqueça de avaliar os outros detalhes relevantes, como localização do bem, segurança da região e tamanho do imóvel, antes de concretizar a aquisição.

Se você gostou do nosso post, compartilhe o artigo em suas redes sociais e auxilie os seus amigos a não cometerem nenhum erro no momento de comprar imóvel!

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Receba conteúdo gratuitamente!




Um comentário sobre “4 principais dicas para comprar um imóvel”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *